madrinha-do-autismo-lei-do-lacinho-vereadora-tania-bastos-rio-de-janeiro-tania-bastos
MENU

Tânia Bastos defende projeto de lei que estabelece carteira para autistas

61317776 2176250609090829 275362379254988800 nA inclusão do autismo em todos os segmentos tem sido uma luta da vereadora Tânia Bastos (PRB), junto com os grupos de pais de autistas e defensores da causa. Nesta quinta-feira (23), a parlamentar esteve em reunião, no Detran–RJ, com a deputada estadual Tia Ju (PRB); o presidente do órgão, Luiz Carlos das Neves; o diretor de Identificação Alexandre Mattioli; e diversos representantes da Causa. Os grupos ”Correndo pelo Autismo”, “Compartilha”, “Mundo Azul”, “Juntos” e “Marias” marcaram presença.

“A pauta foi muito positiva, pois discutimos vários benefícios para as pessoas com o Transtorno. Precisamos transformar vidas e para isso a união de todos é fundamental. Estamos lutando para que os autistas tenham uma vida bem mais próxima da normalidade. Fico feliz e extremamente agradecida pelo fato de o vice-governador, Cláudio Castro, interceder pelas famílias Autistas. Obrigada!”, ressaltou a vereadora.

“Esta reunião foi extremamente proveitosa, porque, a partir da aprovação do nosso projeto na Alerj, o Detran será o órgão responsável pela sua efetivação”, explicou a deputada Tia Ju (PRB).

Incluir a condição dos portadores de TEA no documento de identidade vai facilitar o dia a dia de cada um deles e dos seus responsáveis. A maioria das necessidades especiais são facilmentes identificadas por causa das suas características. No caso do Transtorno Espectro Autista (TEA) isso não acontece. Atualmente existe uma identidade que especifica que a pessoa é portadora de necessidade especial, além de um crachá assinalando o grupo sanguíneo e tipos de medicamentos. Contudo, não há a exibição do lacinho colorido – símbolo do autismo. O projeto de lei estabelece exatamente esta inclusão no documento de identificação.

Para o presidente do Detran-RJ, Luiz Carlos das Neves, a ideia seria muito boa. “Todavia, seria necessária a determinação por meio de um projeto de lei federal que determinasse isto”, explicou o diretor de identificação.

“Fui escolhida para defender estas pessoas e vou continuar fazendo o meu papel. Farei tudo o que tiver ao meu alcance para defender os direitos dos autistas”, concluiu Tânia Bastos.

Imagens

Por Leticia Namorato – Ascom Tânia Bastos

cOMENTÁRIOS

Posts mais visualizados