Notícias

Câmara aprova, em primeira, o PL do “Dia da Universal nos Presídios”

Foi aprovado, em 1ª discussão, na Câmara dos Vereadores, o PL nº1298/2019, que inclui o Dia da Universal nos Presídios (UNP), no calendário oficial da cidade do Rio de Janeiro, consolidado pela Lei Nº 5.146, de 2010.

“Este projeto é de extrema importância, por ser um trabalho feito por voluntários que se dispõem a contribuir com a reintegração do preso ao convívio social. Este é um fator essencial que produz efeitos positivos para toda sociedade. Inclusive eu faço parte do grupo de voluntários, portanto acompanho de perto o quanto é significante. Sei os obstáculos enfrentados pelos familiares e pelos detentos após adquirirem liberdade. Desta forma, agradeço o apoio dos vereadores, unindo forças para o resgate dessas pessoas”, disse a parlamentar.

Há mais de 30 anos a Universal iniciou os trabalhos voluntários de evangelização nas unidades prisionais em diversas partes do Brasil. O objetivo é transformar a vida dos encarcerados por meio da Palavra de Deus, apoio espiritual e social, além de auxílio aos seus familiares.

Ao longo das décadas, o trabalho foi crescendo e novos voluntários foram incluídos. Hoje, mais de 14 mil pessoas, entre homens e mulheres, fazem parte do Universal nos Presídios (UNP) e atuam em unidades prisionais (masculinas e femininas), em todo o País e em diversas partes do mundo.

O trabalho abrangente acontece em ao menos uma unidade prisional de cada estado brasileiro. Nas últimas três décadas, milhares de detentos receberam apoio espiritual. Muitos, inclusive, já conquistaram a liberdade e, de forma voluntária, hoje fazem parte do projeto e voltaram aos mesmos presídios em que estiveram encarcerados um dia para levar a mesma Palavra que receberam, e que foi responsável pela mudança na vida deles.

O trabalho da Universal nos Presídios iniciou no dia 14 de Junho de 1980, no antigo presídio Frei Caneca. Este complexo penitenciário começou a ser erguido em 1850, no Centro do Rio e foi implodido em março de 2010, e atualmente abriga o museu penitenciário.                       

Em 2017, a UNP anunciou a construção de igrejas nos presídios, em todo território nacional, desenvolvendo ações filantrópicas com a finalidade de ressocializar e salvar muitas vidas através da Palavra de Deus. 

ASCOM Tânia Bastos

Comentários

Compartilhe nas Redes Sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin