Notícias

Vereadora Tânia Bastos, grupos de pais CompartIlha e Mundo Azul e secretaria municipal de educação debatem inclusão dos autistas na rede pública de ensino carioca

CompartIlhaA vereadora Tânia Bastos (PRB-RJ), representantes dos grupos de pais Compartilha Autismo/ A Ilha unida pelo autismo e Mundo Azul se reuniram com a secretária municipal de educação, Helena Bomeny, e a equipe técnica da Prefeitura do Rio, nesta última sexta-feira (22/8).

Durante o encontro, a parlamentar destacou a importância da parceria entre as secretarias de Educação, Saúde e Esporte e Lazer para a criação de políticas públicas para os autistas.

“Já estivemos com o secretario municipal de saúde, Daniel Soraz, que se comprometeu em criar um protocolo clínico, capacitar os profissionais da área, instalar banners de divulgação, colocar à disposição os panfletos criados pela secretaria em local visível em todas as clínicas da família e postos de saúde, inserir os sintomas do transtorno nas cadernetas de vacinação, além de elaborar um protocolo clínico. Com o secretário de esporte e lazer, Octavio Espírito Santo, nós conseguimos que a prefeitura ofereça atendimento esportivo aos autistas nas Vilas Olímpicas existentes, pois assim vamos o esporte será uma ferramenta de socialização e de inclusão. A natação será a primeira modalidade a ser oferecida. Agora, nós queremos avançar na área da educação” afirmou, a vereadora Tânia Bastos.

seceducacaoRepresentante do CompartIlha/A Ilha unida pelo Autismo, Elaine Brandão, sugeriu que a educação invista na divulgação do transtorno do autismo na rede. “Recebi um recado de uma avó que o neto tem 10 anos e não foi matriculado na escola. Ela disse que procurou e a direção informou que ele só poderia ficar algumas horas e seria encaminhado para a casa, já que não haveria estrutura. Gostaria de saber onde esta e outras famílias poderiam procurar ajuda, já que aqui mesmo temos uma mãe que procurou uma escola na Ilha e também não foi atendida e saber como a secretaria vem trabalhando com este transtorno”, disse ela. Já o representante do Mundo Azul, Luciano Aragão, solicitou a criação de um grupo de trabalho para tratar apenas do autismo.

Segundo a secretária, as escolas têm 12.500 crianças especiais e cerca de 700 são autistas. “Fico realmente preocupada com estes pais. Nossa meta é evasão escolar zero. Não queremos nenhuma criança fora da escola. Neste caso da avó, peça para ela procurar a Coordenadoria Regional de Educação do bairro dela. Caso não consiga atendimento, por favor, direcione para o Instituto Helena Antipoff (telefone: 2204-2150). Nós estamos na fase final do concurso para agente de apoio à educação com 150 vagas. Estes novos servidores irão atuar como mediadores, além disso, temos 1.012 estagiários para trabalhar com estas crianças, por isso, não podemos admitir que estes casos se repitam. A minha ideia é marcar uma agenda com os secretários de saúde e esporte e lazer para que possamos elaborar um plano de ação em conjunto. Este será o nosso próximo passo para começar esta parceria em prol dos autistas”, anunciou.

Comentários

Compartilhe nas Redes Sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin