Notícias

Comissão de Defesa da Mulher da Câmara do Rio participa da Conferência Nacional de Políticas Públicas para as Mulheres

confnacA Comissão Permanente de Defesa da Mulher da Câmara do Rio de Janeiro, Coordenadoria Especial de Promoção da Política para Igualdade de Gênero (CEPIG) e a Superintendência Estadual dos Direitos da Mulher integram a delegação do Rio de Janeiro na 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, realizada entre os dias 12 e 15 de dezembro, em Brasília.

O Estado contou com 154 representantes de diversos municípios. Cerca de três mil mulheres debateram e decidiram políticas públicas já aprovadas nas conferências municipais, além da avaliação das metas do II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres apresentado em 2007.

dia5A participação da presidenta Dilma Rousseff e de vários ministros confirmaram a importância do envolvimento entre todos os setores do governo. “Meu compromisso é aprofundar o governo nas políticas de igualdade de gênero. Hoje, o governo reconhece o papel fundamental da mulher neste país. Nós vamos fazer juntas uma sociedade de igualdade”, afirmou.

P1010997A secretária-geral adjunta da Organização das Nações Unidas (ONU) e diretora executiva da ONU Mulheres, Michele Bachelet, destacou o reconhecimento do mundo na questão de gênero, o empoderamento da mulher no campo social, econômico e político.

Presidente da Comissão Permanente de Defesa da Mulher da Câmara do Rio, a vereadora Tânia Bastos (PRB) ressaltou a importância da participação do Legislativo carioca no evento.

“Em agosto deste ano, a Comissão se fez presente na Conferência Municipal e Estadual, quando discutimos as prioridades para o Rio de Janeiro. Pela primeira vez, a Câmara de Vereadores participou desta elaboração de novas políticas públicas para as mulheres nas três esferas do governo. A união do Poder Executivo, Legislativo, Judiciário e da sociedade civil é importantíssima para que a implementação desta nova política. Sinto-me com muita responsabilidade de estar inserida neste processo de mudança da nossa sociedade. Precisamos, agora, com a máxima urgência, que o prefeito Eduardo Paes encaminhe a mensagem que cria o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher. O Rio de Janeiro não pode ficar para trás. Infelizmente, ainda somos uma das poucas cidades do Estado que não possui um Conselho, isso é constrangedor para nós”, concluiu a vereadora.

Comentários

Compartilhe nas Redes Sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin