Notícias

Saiu no DCM: Prevenção bucal durante período gestacional e pós-parto

É importante que a gestante cuide da sua saúde bucal, pois ela pode afetar o desenvolvimento e a saúde do bebê. Estudos mostram que as bactérias causadoras de doenças na boca, principalmente as doenças gengivais, podem estar relacionadas com a aceleração do trabalho de parto. E mesmo após o nascimento do bebê, a mãe ainda pode transmitir bactérias e aumentar o risco de seu filho ter doenças bucais.

Com o objetivo de prevenir, controlar, limitar e erradicar os riscos de transmissão de doenças orais da gestante para o feto e diminuir o número de patogenicidade dos microorganismos, a Câmara do Rio aprovou a Lei n° 6.442/2019, de autoria da vereadora Tânia Bastos (PRB), que assegura o direito ao atendimento odontológico às gestantes na rede municipal de saúde.

De acordo com a medida, o Poder Executivo poderá promover ações no Programa de Saúde da Mulher que desenvolvam o atendimento odontológico pré-natal e o pós-parto em toda a rede. O propósito das ações é diminuir o risco à vida da mulher, do feto e do recém-nascido.

Durante a gravidez, percebe-se a ocorrência de grandes mudanças fisiológicas e alterações hormonais que podem ter efeitos adversos na saúde bucal. A gestante passa a ter uma alimentação desregulada, ingerindo com mais frequência alimentos que, muitas vezes, causam cáries, e isso pode contribuir para a ocorrência de problemas bucais. Outro fator que pode ser observado na gestação é a erosão do esmalte dentário. A perda de estrutura dentária é ocasionada por substâncias ácidas, que podem ser decorrentes da exposição ao suco gástrico por frequentes enjoos e vômitos.

Entretanto, ao tomar os devidos cuidados, pode-se evitar e ter controle sobre isso. “Buscamos dar o direito de informação, prevenção e a possibilidade de um tratamento bucal adequado pela rede pública municipal, com vistas a diminuir riscos durante o período gestacional e pós-parto”, afirma Tânia Bastos.

Bons hábitos de higiene bucal e uma alimentação saudável também são pontos de partida para uma gestação segura. Especialistas apontam que, além de reduzir o consumo de açúcar, é essencial fazer a escovação correta após as refeições, usar o fio dental e o creme dental com flúor. Vale ressaltar que a gestação não é a causa direta de problemas bucais. Contudo, as alterações hormonais que ocorrem neste período podem favorecer condições preexistentes e gerar desconfortos à mulher.

Fonte: DCM

Comentários

Compartilhe nas Redes Sociais

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin